Prevendo Com O Ascendente – Profecção

Anúncios

Como Analisar Eclipses Na Astrologia

Na semana passada postei um vídeo em meu canal do Youtube sobre o  eclipse anular no signo de Peixes, e percebi que algumas pessoas não compreenderam a mensagem.

Na verdade, o volume de informação astrológica na mídia é muito grande e, para quem segue a Astrologia somente para orientação fica difícil saber o que tem fundamento e o que não tem.

Para entrarmos nesta questão dos Eclipses é importante que tenhamos uma visão clara do que é Astrologia.

Astrologia é um estudo simbólico dos astros que tem relação com meio social, cultural, físico, e individual. Todo o estudo astrológico é baseado na observação do Homem em relação aos cosmos, por isto consideramos somente o que pode ser visto a olhos nus (os luminares, os 5 planetas visíveis, e algumas estrelas fixas). Quando acrescentamos todas as descobertas astronômicas à Astrologia ela perde suas bases, e deixa de ser Astrologia. É por isto que a Astrologia moderna não é tão pontual e precisa como a Clássica. Além do fato da Astrologia moderna ser baseada em arquétipos, e deixar de fora muito da questão preditiva.

Já na Astrologia antiga havia discussão sobre novas descobertas astronômicas, sobre o heliocentrismo por exemplo, sobre novos corpos celestes. Mas o que temos que ter em mente, é que Astrologia é um estudo fechado, hermético, e que quando acrescentamos elementos sem fundamentos, distorcemos a função astrológica.

Com os eclipses acontece da mesma maneira. Desde tempos remotos os eclipses têm relação com o meio coletivo, mundano, no que diz respeito ao ambiente social, político, meteorológico, artístico, etc. Em  termos individuais ele influencia muito pouco. Outra questão é que os eclipses têm relação com a regiões ligadas ao signo onde ocorrem. Existem regras para julgar, interpretar um eclipse.

  • Nas natividades (mapas natais), os eclipses são importantes quando dentro de 1° de conjunção ou oposição ao Sol, Lua ou ângulos (ascendente, descendente, meio do céu).
  • Nos assuntos mundanos afetam aquelas nações e cidades que têm uma familiaridade tradicional com o signo do eclipse – especialmente aquelas cujo mapa de fundação tem o eclipse no Ascendente, Meio do Céu, Sol ou Lua.
  • As nações também podem ser afetadas se o eclipse cair no regente do Ascendente natal, Meio do Céu ou luminares.
  • Embora muitos astrólogos afirmem que os eclipses ainda sejam relevantes quando sob a Terra (especialmente na 4ª casa), geralmente é aceito que  “estendam seus efeitos mais fortemente quando estão acima da Terra, fracamente e não tão vigorosamente quando sob a Terra”. Quando estão acima da Terra, são visíveis. Pensem em “acima da Terra” como entre as casas 07 e 12.
  • Eclipses no ascendente afetam projetos recentemente iniciados e jovens; No Meio do Céu, países, governantes e pessoas de meia-idade; no descendente (casa 7), Guerras, contenções e pessoas de idade.
  • Os efeitos de um eclipse solar são maiores quando o Sol está ascendendo ou no Meio do Céu. Os eclipses lunares são mais destrutivos no hemisfério ocidental do que no leste.
  • Considera-se também qualquer estrela fixa (de 1ª ou 2ª magnitude) situada no ângulo anterior, seguida por qualquer estrela fixa brilhante no ângulo seguinte. (Ou seja, se o eclipse cair na casa 12, 11 ou 10, considere uma estrela fixa no MC de importância primordial e uma estrela fixa no Ascendente  como uma influência secundária). Geralmente, concorda-se que tais estrelas precisam ser baixas em latitude e perto da eclíptica.
  • A natureza do eclipse é encontrada por  seu regente planetário e as proeminentes estrelas fixas da época. O Senhor (regente) do eclipse é aquele planeta que tem mais dignidades e relações por aspecto ao grau do eclipse e ao seguinte ângulo (isto é, o Meio do Céu se o eclipse cair na casas 7, 8 ou 9, o Ascendente se cair na10º, 11º ou 12º casas).
  • Se um planeta domina o grau de eclipse, e outro o ângulo seguinte, a preferência é dada ao planeta que domina o eclipse, e o regente do ângulo usado como um co significador.

Existem outros pontos a consideramos na análise dos eclipses, mas para um primeiro artigo creio ser o suficiente. Aprofundaremos mais este tema nos próximos artigos.

Bibliografia: 
Tetrabiblos Livro II, (c.150 AD) Ptolomeu
Annus Tenebrosus (1652) William Lilly

Marte Em Movimento Direto 29 De Junho De 2016

Desde 17 de abril, Marte o planeta da ação e energia esteve no movimento retrógrado. Nos últimos meses, Marte tem nos testado, trabalhado, desafiando-nos a puxar para trás, a fim de descobrir a melhor maneira de lidarmos com as questões da casa do mapa onde ele está transitando.

Casa 1: Identidade

Casa 2: Finanças e valores

Casa 3: Comunicação básica, parentes

Casa 4: Família e bases

Casa 5: Amores, filhos, diversão, sexualidade

Casa 6: Doenças, trabalho

Casa 7: Compromissos, casamento, sociedades

Casa 8: Crises, perdas, dores, recursos externos

Casa 9: Mente superior, estudos, espiritualidade

Casa 10: Carreira, sucesso

Casa 11: Amizades, planos futuros, tendências coletivas

Casa 12: Medos, frustrações

Este processo tem nos ajudado a descobrir se estamos avançando na direção certa, e quais ajustes precisam ser feitos.

Durante esta fase, você pode ter se sentido:

  • Desmotivado e sem direção
  • Uma força vai e volta: dar dois passos à frente e um passo para trás
  • Lentidão no desenrolar das situações
  • Raiva ou ressentimento de seu passado
  • Velhas feridas, tanto emocionais quanto físicas apresentando-se
  • Incerteza sobre uma decisão
  • A resistência em avançar

Em 29 de junho, hoje,  Marte vai finalmente abrir os olhos e começar seu caminho direto. Quando um planeta retoma o movimento direto, tendemos a sentir os efeitos mais fortemente.

De muitas maneiras, quando Marte começa a acordar, ele vai entregar para nós a última e mais poderosa mensagem de seu tempo retrógrado .

Esta mensagem será diferente para todos, mas sabendo que Marte é todo sobre a tomada de ação, motivação, e criação, é provável sentirmos as coisas em movimento nessas áreas.

Com os demais planetas retrógrados  ao longo dos últimos meses, este período pode nos ter forçado a olhar para dentro, limpar e liberar qualquer coisa de nosso passado que tem nos impedindo de entrar em nosso verdadeiro potencial. Esta abertura é importante, e a quantidade e qualidade da liberação que foi realizada durante este ciclo vai ser uma indicação de quão longe podemos ir com Marte retornando à sua velocidade regular.

Ainda Marte, mesmo voltando ao movimento direto será lento. Enquanto sentimos um desejo de avançar, também podemos nos sentir lentos para pegar o  ritmo.

Este é um tempo para se exercitar definitivamente a paciência. Você pode sentir o desejo de se mover, mas a estrada pode ainda não estar completamente pronta para andar. Se correr demais  pode escorregar no chão ainda molhado, por isso, no mês de julho todos nós ainda temos que ser pacientes e esperar que as coisas comecem a fluir novamente.

De Julho a Agosto, Marte vai passar de Escorpião para  Sagitário, onde transitava antes do retrógrado.

Durante a transição por estes signos, vamos sentir a energia movendo-se lentamente a partir de um estado interno, emocional de Escorpião, a um estado mais ativo de Sagitário, mais ardente.

Vamos sentir algumas energias do subconsciente, finalmente, vindo à consciência, muitas fichas cairão.

Este é um momento poderoso que realmente nos ajudará saber se estamos no caminho certo. Se uma decisão tem que ser tomada, você poderá finalmente conseguir a resposta sobre qual caminho tomar durante este tempo.

Marte só volta oficialmente à sua velocidade máxima em 22 de agosto, mas já estamos definitivamente sentindo a mudança e transferência de energia.

Venha agosto!! Esta construção de energia toma um impulso para a frente na direção certa. Se você permitir, se  entregar, este impulso pode ajudá-lo a estar exatamente onde você precisa estar.