Como Analisar Eclipses Na Astrologia

Na semana passada postei um vídeo em meu canal do Youtube sobre o  eclipse anular no signo de Peixes, e percebi que algumas pessoas não compreenderam a mensagem.

Na verdade, o volume de informação astrológica na mídia é muito grande e, para quem segue a Astrologia somente para orientação fica difícil saber o que tem fundamento e o que não tem.

Para entrarmos nesta questão dos Eclipses é importante que tenhamos uma visão clara do que é Astrologia.

Astrologia é um estudo simbólico dos astros que tem relação com meio social, cultural, físico, e individual. Todo o estudo astrológico é baseado na observação do Homem em relação aos cosmos, por isto consideramos somente o que pode ser visto a olhos nus (os luminares, os 5 planetas visíveis, e algumas estrelas fixas). Quando acrescentamos todas as descobertas astronômicas à Astrologia ela perde suas bases, e deixa de ser Astrologia. É por isto que a Astrologia moderna não é tão pontual e precisa como a Clássica. Além do fato da Astrologia moderna ser baseada em arquétipos, e deixar de fora muito da questão preditiva.

Já na Astrologia antiga havia discussão sobre novas descobertas astronômicas, sobre o heliocentrismo por exemplo, sobre novos corpos celestes. Mas o que temos que ter em mente, é que Astrologia é um estudo fechado, hermético, e que quando acrescentamos elementos sem fundamentos, distorcemos a função astrológica.

Com os eclipses acontece da mesma maneira. Desde tempos remotos os eclipses têm relação com o meio coletivo, mundano, no que diz respeito ao ambiente social, político, meteorológico, artístico, etc. Em  termos individuais ele influencia muito pouco. Outra questão é que os eclipses têm relação com a regiões ligadas ao signo onde ocorrem. Existem regras para julgar, interpretar um eclipse.

  • Nas natividades (mapas natais), os eclipses são importantes quando dentro de 1° de conjunção ou oposição ao Sol, Lua ou ângulos (ascendente, descendente, meio do céu).
  • Nos assuntos mundanos afetam aquelas nações e cidades que têm uma familiaridade tradicional com o signo do eclipse – especialmente aquelas cujo mapa de fundação tem o eclipse no Ascendente, Meio do Céu, Sol ou Lua.
  • As nações também podem ser afetadas se o eclipse cair no regente do Ascendente natal, Meio do Céu ou luminares.
  • Embora muitos astrólogos afirmem que os eclipses ainda sejam relevantes quando sob a Terra (especialmente na 4ª casa), geralmente é aceito que  “estendam seus efeitos mais fortemente quando estão acima da Terra, fracamente e não tão vigorosamente quando sob a Terra”. Quando estão acima da Terra, são visíveis. Pensem em “acima da Terra” como entre as casas 07 e 12.
  • Eclipses no ascendente afetam projetos recentemente iniciados e jovens; No Meio do Céu, países, governantes e pessoas de meia-idade; no descendente (casa 7), Guerras, contenções e pessoas de idade.
  • Os efeitos de um eclipse solar são maiores quando o Sol está ascendendo ou no Meio do Céu. Os eclipses lunares são mais destrutivos no hemisfério ocidental do que no leste.
  • Considera-se também qualquer estrela fixa (de 1ª ou 2ª magnitude) situada no ângulo anterior, seguida por qualquer estrela fixa brilhante no ângulo seguinte. (Ou seja, se o eclipse cair na casa 12, 11 ou 10, considere uma estrela fixa no MC de importância primordial e uma estrela fixa no Ascendente  como uma influência secundária). Geralmente, concorda-se que tais estrelas precisam ser baixas em latitude e perto da eclíptica.
  • A natureza do eclipse é encontrada por  seu regente planetário e as proeminentes estrelas fixas da época. O Senhor (regente) do eclipse é aquele planeta que tem mais dignidades e relações por aspecto ao grau do eclipse e ao seguinte ângulo (isto é, o Meio do Céu se o eclipse cair na casas 7, 8 ou 9, o Ascendente se cair na10º, 11º ou 12º casas).
  • Se um planeta domina o grau de eclipse, e outro o ângulo seguinte, a preferência é dada ao planeta que domina o eclipse, e o regente do ângulo usado como um co significador.

Existem outros pontos a consideramos na análise dos eclipses, mas para um primeiro artigo creio ser o suficiente. Aprofundaremos mais este tema nos próximos artigos.

Bibliografia: 
Tetrabiblos Livro II, (c.150 AD) Ptolomeu
Annus Tenebrosus (1652) William Lilly

Anúncios

2 comentários sobre “Como Analisar Eclipses Na Astrologia

  1. Ana tenho uma dúvida ,,a eclipse a 8 de peixes,,minha lua natal esta a 6 de peixe na 6 o orbe de 2 graus de diferença pega minha lua???

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s